04 julho 2010

Decrepitudes em Digressões-2010







































Para esta exposição do colectivo F4, escolhi algumas imagens do que resta do "Progresso". Chamei-lhe "Decrepitudes", porque é de uma economia decrépita que se trata. São restos industriais, daquele que já foi o maior centro industrial de Portugal, a CUF no Barreiro.

11 comentários:

JL LEAL disse...

Buena suerte con la expo!

teca disse...

Muito bem escolhida a foto! A representação está perfeita!

Felicidade e realizações.

Beijo com afeto.

Luis disse...

Una foto magnifica por la fuerza que transmite. Hierro y oxido a manos llenas

Catarina disse...

Muy buena...suerte con la exposición...un abrazo

calata disse...

suerte con la expo y si todas las fotos son igual de buenas que esta, pues éxito asegurado.

saludos

José Manuel Vilhena disse...

As sombras deixam entrever esse ambiente industrial...ido.Gosto da fotografia.

Silvares disse...

Sombras presentes num local que é uma sombra do passado... ena pá, isto é quase poesia! Estou a falar da foto, claro.
:-D

Zé Caçador disse...

Este rapaz Silvares está um poeta.

Isto da decrepitude em digressão, dá que pensar!...

Chapa disse...

Decrepitude em digressão, não é o título das presidências abertas do Anibal?

Ángel disse...

La decrepitud elevada a la esencia del arte. Bellas composiciones de claros oscuros y color.
Un abrazo, amigo

isabel victor disse...

Muito bom !
muito ...