21 fevereiro 2007

Estigma



Filhos dum deus selvagem e secreto
E cobertos de lama, caminhamos
Por cidades,
Por nuvens
E desertos.
Ao vento semeamos o que os homens não querem.
Ao vento arremessamos as verdades que doem
E as palavras que ferem.
Da noite que nos gera, e nós amamos,
Só os astros trazemos.
A treva ficou onde
Todos guardamos a certeza oculta
Do que nós não dizemos,
Mas que somos.

Ary dos Santos

6 comentários:

António Melenas disse...

Antes de mais, obrigado pela visita.
Já andei a jardinar pelo teu blogue, que é muito bem feito e aprazivel de ver, inda para mais encontrando logo à entrada um belo poema do suadoso ARY
Um abraço

Diafragma disse...

Mas o ESTIGMA mais bonito da blogosfera! Eu punha isto numa parede, sou tarado por texturas.

cabaret disse...

"Filhos de um Deus selvagem e secreto..."
esta é sem dúvida uma expressão com um peso incrivel. Amigo Chapa sempre em altas, sempre a acompanhar os caminhos estreitos da emoção. Espero que hoje faças um brinde saudoso pelo Zeca. Abraço

Vitorino Coragem disse...

Olá, gostaria que conhecesses a minha cibercasa. Irei colocar um link do teu blog.

Um abraço!

Vitorino

Jofre Alves disse...

Passei para ver e apreciar este blogue, cheio de interesse e qualidade. Bom fim-de-semana.

vernanda tata disse...

Mebel Minimalis

Modern Style


Informasi Teknologi


Modifikasi Motor


Harga Hp Android


Desain Rumah Minimalis



Thanks for information...