27 novembro 2005

Teia

Assim, ostentando o orvalho da manhã nem parece uma armadilha silenciosa, à espera de um qualquer incauto que passe. Lembra-me Cavaco que silenciosamente vai tecendo a sua teia, também ele à espera das vítimas distraídas que fiquem ao seu alcance.

6 comentários:

LS disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
LS disse...

E ambos perigosos. Cair numa teia: eis o que devemos evitar.
Bela, a foto.

adavid disse...

O post anterior aconselha-nos a que não caiamos numa teia. De uma forma ou de outra, é o que vamos tentando, embora me pareça cada vez mais difícil, pois, como dizes num comentário no Abnegado, a «"governação demencial" começa a ser cada vez mais a normalidade».
Também gosto da foto.
Um abraço.

Maria Papoila disse...

Gostei da analogia! E da foto também.
Um abraço

Cruzeiro disse...

Infelizmente quem vai cair na teia é Portugal...
Bela foto, como sempre!

© JJCN 07 disse...

Fantástica!!!