08 Dezembro 2011

Incógnitos II























Passam apressados, absortos nos seus pensamentos.
Porque pensam tanto?
Ou será que nem pensam?
Se pensassem reparavam que existo.
Será que existo?
ou talvez não!
Se calhar os seus pensamentos são acerca de mim,
ou não.
Acho que não pensam, desviam o olhar para não me verem, para não terem de pensar em mim.
No que pensam,
se pensam? Nas vidas, nas merdas das vidas, nas vidas de merda! No empregozito que lhes consome a vida e não lhes deixa nada.
Porque será que passam apressados, para onde correm?
E afinal, o que é isso da existência?